domingo, 31 de julho de 2011

Amor barato

Por: Camilla Azuos às 00:09
Meg, a baratinha passeava pelo esgoto, quando conheceu Bobby, o rato.
Todos do imundo local sabiam da paixão que os dois tinham.
A cada dia que passava o casalsinho sujo não se desgrudava e o sentimento só fazia crescer.
Todos os dias, Meg declarava seu amor por Bobby, que retribuia com doçura, afinco, ternura.
Tudo ia bem, até que algo aconteceu.
O que aconteceu?
Não sei dizer!
Mas que aconteceu, aconteceu.
A Baratinha, quando declarava seu amor ao ratinho, a recíproca já não existia mais. Para Bobby, tudo estava chato e cinza, como o esgoto.
Meg então resolveu consertar as coisas: Foi às ruas, juntou todos os tipos de resto de comida que Bobby mais gostava e levou para tentar agradar seu amor.
Enquanto o ratinho se deliciava com o banquete preparado pela sua amada, Meg perguntou "o que te aflige, querido?''. Bobby respondeu ''Nada! Tudo está bem, querida!".
Meg se satisfez, achando que era apenas a falta de boa comida, e resolveu esquecer o assunto.
O rato e a barata foram muito felizes durante um tempo. Até que Bobby estava estranho novamente.
E lá se vai a insetinha consertar as coisas.
Cantarolando, Meg vai à cidade e recolhe muitos farelos de biscoitinhos que seu amado adorava e levou para eles e mais uma vez perguntou: "O que há, querido?", "Nada, querida, está tudo ok".
E Meg e Bobby foram felizes por um tempo.
Até que um dia Bobby some.
Meg procura nos quatro cantos do esgoto. Foi à casa da lacraia Thabata, e lá ele não estava. Foi à casa do gongolo Greg e lá ele também não estava. Não havia mais onde procurar!
Foi então, que Meg deu-se conta: alguma coisa aconteceu, e ela não viu. E ela maquiou o problema por muito tempo, mentindo pra si própria que o esgoto era o melhor lugar do mundo para o amor dos dois. Não era o bastante. Bobby foi em busca de algo, que Meg, desconhecia.
E a baratinha ficou triste, sentadinha em cima da tampa de refrigerante vermelha.
Meg se culpava por algo que ela não conseguia resolver. E Meg estava triste, sentada sobre a tampa de refrigerante vermelha...

1 entrometimentos:

Ludimila Gouvêa on 3 de agosto de 2011 08:26 disse...

verdade.. mtas vezes não nos damos conta de que tem algo errado...ou damos mas fingimos que está tudo bem, por ser mais conveniente...

 

Vita... Dolce Vita** Copyright © 2012 Design by Antonia Sundrani Vinte e poucos